naoquerofalardesexo
Maria Nicanor

misfit toy

01.11 02.11 03.11 04.11 05.11 06.11 10.11 11.11 12.11 01.12 02.12 03.12 04.12 05.12 06.12 07.12 10.12 11.12 12.12 01.13 02.13 03.13 04.13 05.13 06.13 07.13 08.13 09.13 10.13 11.13 12.13 01.14 02.14 03.14 05.14 03.17

Follow Me
Facebook
Twitter

30 janeiro 2012


Vi-te ao longe junto ao cais e os meus pés começaram a andar sem consentimento, não que eu quisesse ir, o meu coração é que queria. Queria saber o porquê de teres escolhido tal profissão. Poderias ter sido professor, contabilista ou mesmo astrónomo (foste tu que me ensinaste a ler as estrelas), mas não! O mar, o teu belo mar, era o mar o senhor do teu ser, o dono da tua vontade. Quiseste velejar, e fizeste-o durante tanto tempo! mas depois o dinheiro de filho abastado terminou e penso ter sido esse o tempo que passaste mais em terra. Mil te ofereceram trabalho e mil tu recusaste. Acalmavas-me dizendo que tudo iria melhorar, que o mar trazia esperança, mas eu não creio no mar como tu, para mim o mar é só água e nem é daquela que dá para beber. Então um dia, foste à praia falar com uns pescadores e vi-te partir no dia seguinte. Sete anos se passaram, sete anos, sete meses, onze dias e durante este tempo pouco era o tempo que a cidade te via. E eu, o teu amor, esperei aqui por cartas tuas que sempre me sabem a tão pouco! Quando estás comigo, o meu coração esquece a dor e a mágoa dos muitos meses em que não estás, mas eu vejo nos teus olhos, os teus olhos nunca brilharam quando olhas para mim como quando olhas para o mar e, como posso eu, ser humano tão inútil competir por amor contra a natureza? Não posso, por isso cuido de ti enquanto aqui estás e vejo-te amar o mar pela janela ao amanhecer e durante o resto do dia. Digo-te para pegares no barco e ires, porque não tenho força para aguentar a tua tristeza e a minha e tu pedes-me desculpa parecendo preocupares-te comigo durante um pouco mas depois sorris e corres para a imensidão, e eu fico aqui à espera, mais uma vez, esperando que a tua amada corrente não te abrace e fiques para sempre prisioneiro da tua paixão.
Estás a acorrentar o barco e eu que queria dizer-te o que a saudade sente, calo-me por entre salpicos de água e pergunto-me por quanto tempo ficarás desta vez.
15 ♣


/