naoquerofalardesexo
Maria Nicanor

misfit toy

01.11 02.11 03.11 04.11 05.11 06.11 10.11 11.11 12.11 01.12 02.12 03.12 04.12 05.12 06.12 07.12 10.12 11.12 12.12 01.13 02.13 03.13 04.13 05.13 06.13 07.13 08.13 09.13 10.13 11.13 12.13 01.14 02.14 03.14 05.14 03.17

Follow Me
Facebook
Twitter

08 março 2011


Início de 2010

I: Oh! Estás aqui!
M: Fugi só por uns minutinhos e já sentes a minha falta?
I: Não sejas convencido! Andava à tua procura, precisamos de falar SOZINHOS sobre aquilo que me fizeste da outra vez.
M: Entra aí.
Quando finalmente estavam sozinhos.
M: Por "aquilo" que te fiz da outra vez presume-se, um beijo inesquecível?
I: Ou isso.. E não foi inesquecível, foi inesperado.
M: Adoraste, não mintas. A mim, não.
I: Nós somos amigos, M. Amigos SEM BENEFÍCIOS!
Ele beija-a.
I, libertando-se: Pára! Estás parvo? Eu não sou mais uma das tuas queridas que correm atrás de ti faças tu o que fizeres, te amam e bajulam e de quem fazes o que queres, eu sou umas das tuas poucas amigas e é melhor que me valorizes mais ou vais perder mais uma.
M: Eu sei que não nenhuma "das minhas queridas". E irritas-me sabes, por não o seres. Não estou habituado a ser rejeitado nem a que me neguem o que quero e tu fa-lo o tempo inteiro! E sabes o que é que isso faz? Que eu te ame.
I: Por favor, não te rebaixes e chega de melodramas. Tu não amas ninguém a não ser tu próprio.
M: Talvez não, mas tu és a coisa mais próxima disso. E não me importa o que tu digas e o quão estúpida estejas a ser, porque estás, eu valorizo-te ao contrário do que pensas.. Só que à minha maneira.
I beija-o.
M, ainda surpreso: Amo-te.
I: Não mintas. A mim não.
M: Porque me fizeste isto?
I: Porque me apeteceu. Porque é que as coisas têm de ter sempre uma razão?
I, encaminha-se para a saída.
M: Se não têm de ter uma razão, quer dizer que não há razões para estares a fazer isto, o que faz de ti uma imbecil.
I: Para que conste, não te ouvi.
18 ♣


/